terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Seis alimentos humanos perigosos para o seu cachorro






A maioria dos amantes dos animais sabe que é uma má ideia dar sobrinhas do jantar para o seu amigo canino, mas é praticamente inevitável que eles surrupiem algumas delas que acabam caindo no chão ou que você mesmo cometa um deslize e não resista aos olhinhos pidões. Até aí tudo bem, mas o problema são alguns alimentos específicos que os cachorros não podem experimentar de jeito nenhum. Isso porque eles podem ser mais do que perigosos – chegam até mesmo a ser mortais. Conhecer quais são essas comidas pode evitar uma tragédia; e também recomendamos consultar um veterinário para saber a melhor dieta recomendada para o seu cãozinho.


1. Alho e cebola

Esses temperos, quando crus, são terríveis para o seu amigo de quatro patas. No entanto, qualquer comida temperada deve ser evitada. Certos componentes presentes na cebola e em outras especiarias da mesma família podem causar intoxicação alimentar. Infelizmente, os sintomas só aparecem após três ou quatro dias: o bichinho começa a ficar lento e a urina apresenta coloração alaranjada ou até mesmo vermelha num tom escuro.

2. Chocolate

Pode parecer a melhor recompensa possível dar um chocolatinho para o seu cão por bom comportamento, mas não faça isso! A cafeína e a teobromina podem ser letais. Quanto mais escuro o chocolate, mais perigoso. Vômito, irritação e dores abdominais são sintomas. Convulsões e até mesmo a morte ocorrem nos casos em que grandes quantias foram consumidas; por isso, muita atenção!

3. Abacate

Quase todas as partes de um abacateiro são tóxicas para os animais, inclusive o próprio fruto. Para se envenenar, seu cãozinho teria de comer uma generosa porção, mas as toxinas na polpa e na casca não são o único problema: o caroço pode sufocá-lo e, se ingerido, causar um bloqueio intestinal.

4. Xilitol

Você pode não reconhecer esse componente, mas ele está presente na maioria dos produtos diet e light. Ele não causa problemas em humanos, mas nos cães leva a uma hipoglicemia drástica, que pode resultar em convulsões e atordoamento. Se o animal comer muito, a falência do fígado é um dos problemas mais sérios que podem ocorrer.6. Comida vencida

5. Comida vencida

Muitos têm o hábito de dar um alimento recém-vencido para seu animal… Mas essa prática não é nada boa. Se existirem fungos na comida, também haverá toxinas que causam espasmos musculares e que podem evoluir para convulsões. O resultado final, se não for tratado, pode ser a morte. Evite também deixar itens mofados no lixo onde seu cão possa farejar, para evitar que entrem pelo focinho.

6. Milho na espiga

Tão inofensivo, tão suculento e amarelinho… Nada disso. Seu cão adora mastigar e morder aquele osso sintético por horas a fio? Mesmo assim, a espiga pode provocar muitos problemas se for engolida. É mais seguro deixá-lo como está, roendo o osso.

Leve o seu animalzinho ao veterinário o quanto antes se você tem alguma suspeita de envenenamento. E tenha atenção especial com os itens desta lista para manter o seu cãozinho saudável.

Fonte: eCycle

Veja cinco causas importantes para 2015

Lista originalmente publicada no site The Dodo.

1- Banir animais exóticos de circos

                                                                                                   (Flickr/Forsakenfotos)

Animais exóticos não deveriam fazer parte do circo. Eles sofrem diversos problemas de saúde, psicológicos e o confinamento pode causar incidentes com o público.

Países como Bolívia, Grécia, Peru, Paraguai, Colômbia, Eslovênia e Holanda já sancionaram leis que banem animais em apresentações circenses.

2- Acabar com testes de cosméticos em animais

                                                                                                             (Flickr/DavidO)

Muitos países ainda fazem testes de cosméticos em animais. Prática considerada desnecessária e desumana. O ideal é procurar produtos livres de crueldade animal e pressionar autoridades locais para proibir a prática.
Recentemente, São Paulo proibiu testes em animais com esses testes.

3- Pesca de golfinhos no em Taiji, Japão

                                                                             (Facebook/Sea Shepherd Cove Guardians)

A pesca de golfinhos continua acontecendo em Taiji, Japão. E a próxima temporada já está marcada para setembro.

Diversos movimentos estão pressionando organizações internacionais e japoneses para proibir a pesca de golfinhos no local.

4- Acabar com as fábricas de filhotes ou puppy mills

                                                                                                      (Flickr/Cortney Martin)

As Puppy Mills ou fábricas de reprodução de filhotes são instalação que comercializam cães em massa.
Normalmente, os alojamentos não oferecem as melhores condições para os cachorros e são mantidos em gaiolas até serem vendidos.

Muitos animais que não são comercializados e perdem valor no mercado são mortos.
Por isso não compre, adote um cão.

5- Sea World: encerre os show com orcas em cativeiro

                                                                                                                (Flickr/JaimeW)

O Sea World, nos EUA, está enfrentando uma batalha judicial na Califórnia. Depois de uma série de protestos dos defensores dos direitos animais, uma lei quer proibir a performance de baleias orcas na Califórnia.

Os movimentos querem que a Sea World devolva as 10 baleias que mantém em cativeiro para santuários ao mar aberto.

Fonte: Catraca Livre

Cavalo é brutalmente agredido por carroceiro até a morte em Itajaí (SC)

Um cavalo que puxava uma carroça foi morto pelo dono, na noite de quarta-feira (14), na zona rural de Itajaí. De acordo com informações da Fundação Municipal do Meio Ambiente (Famai), o animal teria desmaiado pelo excesso de calor e esforço.

De acordo com testemunhas, o “tutor” bateu no cavalo para que ele levantasse e quando a fiscalização chegou ao local o animal estava morto. O crime aconteceu na avenida Itaipava. O responsável pelo  animal foi preso e encaminhado à Central de Plantão Policial, assinou um Termo circunstanciado e foi liberado em seguida.

Fonte: Notícias do Dia

Serpente é encontrada em remessa do Sedex em Passo Fundo (RS)

Um filhote de serpente corallus, da família da Jiboia, foi encontrado, nesta sexta-feira, em uma caixa do Sedex durante vistoria dos Correios em conjunto com o Ibama, por meio de raio X, em Passo Fundo (RS). A remessa fora enviada do Espírito Santo e seguia para Tapera.

De acordo com Flabeano de Castro, chefe do Ibama em Passa Fundo, o réptil não é venenoso e sua venda não é permitida, por ser um animal silvestre. Esta serpente tem cerca de meia metro, mas uma espécime adulta pode chegar a dois metro. Por ser relativamente dócil, ela é adotada, ilegalmente, como animal doméstico.

O animal foi encaminhado ao Hospital Veterinário da Universidade de Passo Fundo, mas ela estava saudável. Em seguida o animal irá para um criadouro e por fim solto na Amazônia, seu habitat.
O destinatário e remetente serão multados em R$ 5 mil e uma queixa crime apresentada para o Ministério Público Federal (MPF).

Fonte: Jornal do Brasil

Pet shops deverão garantir saúde e segurança para animais

                                    Objetivo é garantir a segurança e a saúde dos animais de estimação (Foto: Divulgação)
Os pet shops de todo o Brasil deverão se adequar a uma nova resolução do Conselho Federal de Medicina Veterinária, que foi criada para dar mais condições aos animais domésticos. O objetivo é garantir a segurança e a saúde deles, levando em consideração a iluminação e o espaço físico ideal para cada espécie.
De acordo com a norma, que já está em vigor, o médico veterinário do pet shop fica responsável pela higiene do local e pelo bem-estar dos animais expostos. “Já existe essa obrigatoriedade por uma Lei Federal desde 1968. Então, ela não está criando uma obrigatoriedade dos estabelecimentos possuírem veterinário mas, sim, normatizando o que o veterinário deve fazer”, explica a veterinária Tatiana Pelucio.

A resolução também prevê que o veterinário avise formalmente o dono do pet shop sobre qualquer irregularidade encontrada no local e oriente sobre os procedimentos adequados. Caso a situação não seja solucionada, o profissional é obrigado a comunicar o problema ao conselho da categoria. A fiscalização é feita pelo Conselho Regional de Medicina Veterinária.

Os estabelecimentos e os profissionais que descumprirem as normas estão sujeitos a multa e punições administrativas. “Sempre que tiver a constatação de uma irregularidade pelo nosso fiscal os dois vão responder. O veterinário é responsável mesmo e se ele não comprovar que está tomando medidas para corrigir o que está errado acaba sendo conivente com a situação”, continua Tatiana.

A resolução define o papel do veterinário dentro dos pet shops, deixando os procedimentos organizados. A presença do profissional é importante para garantir que o animal receba o melhor atendimento possível. “Junto com essa lei agora a gente pode ter a condição de cobrar dos estabelecimentos que façam o manejo adequado de acordo com as boas práticas veterinárias e ofereçam o melhor seja um animalzinho em exposição, para doação ou para venda”, esclarece a veterinária Pâmela Agostinho.

Fonte: G1

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Consumo de carne provoca resposta imunológica e aumenta o risco de câncer



Os seres humanos enfrentam um risco aumentado de câncer como resultado de comer carne, enquanto animais carnívoros não sofrem deste problema, mas os cientistas não sabiam bem o porquê. Embora não haja uma abundância de teorias que tentam explicar efeitos nocivos da carne, evidências concretas ainda era escassas.

Isto levou os pesquisadores da Escola de Medicina de San Diego, na Universidade da Califórnia, a investigar o possível papel na formação de tumores de um açúcar chamado Neu5Gc, que é naturalmente encontrado na maioria dos mamíferos, mas não em seres humanos.

O Neu5Gc foi encontrado em níveis elevados em tecidos cancerosos. Quando os pesquisadores mediram a quantidade de Neu5Gc em vários alimentos, descobriram que a carne vermelha tinha níveis particularmente altos. Carne de vaca, bisão, porco e cordeiro tinham a maior quantidade do açúcar, provando que produtos de origem mamífera como estes são as principais fontes de Neu5Gc na dieta humana. A molécula foi reconhecida também por ser bio-disponível, o que significa que pode ser distribuída nos tecidos por todo o organismo através da corrente sanguínea.

Os pesquisadores trabalhavam com a hipótese de que a ingestão de carne vermelha poderia conduzir a inflamação, já que o sistema imunológico do corpo está constantemente gerando anticorpos contra o açúcar dos produtos de origem animal, uma molécula estranha. A inflamação crônica é conhecida por promover a formação de tumores.

Lamentavelmente, foi feita uma investigação através da experimentação em camundongos. Os animais foram geneticamente modificados para não produzir o Neu5Gc, ficando mais “parecidos” com os seres humanos. Aqueles que receberam o açúcar pela alimentação e por injeções desenvolveram inflamação sistêmica e cinco vezes mais tumores do que camundongos que não receberam.

Os camundongos, no entanto, desenvolveram com maior frequência tumores no fígado, enquanto os seres humanos que comem carne apresentam maior propensão por desenvolver câncer de cólon, diferença esta que os cientistas não sabem porque ocorreu (resultado que mais uma vez demonstra a ineficácia da experimentação animal).

Fonte: Veggi & Tal

Remoção de unhas dos gatos é condenada por profissionais



O que é a remoção de unhas de um gato? Mediante uma operação cirúrgica as unhas dos gatos são removidas, mas, o que poucas pessoas sabem é o quanto este procedimento é prejudicial para os felinos.
A cirurgia chama-se ergotectomia ou onicotomia, dependendo do modo como é feita. É um procedimento complicado e delicado, afinal consiste em amputar a última falange do dedo do gato, a base do tendão retrátil e o luar do nascimento da unha. Após a remoção, as unham não crescerão mais e o que os gatinhos utilizavam antes para arranhar, defender-se e até mesmo brincar, desaparecerão.

Mas porque as pessoas fazem isso? Pensando em seu próprio benefício, tutores de felinos acham que o procedimento não acarreta em consequências graves e vai evitar que o animal arranhe o sofá da sala, poltronas, etc. Na Inglaterra e em Portugal, essa prá­tica é con­si­de­rada “desu­mana” e uma “muti­la­ção des­ne­ces­sá­ria”. No Rio de Janeiro, foi sancionada este ano uma lei que proíbe cirurgias estéticas em animais, entre elas a remoção de cauda, parte das orelhas e também das unhas.

Pelas normas do CRMV (Conselho Regional de Medicina Veterinária), de São Paulo, a cirurgia para retirada de unhas é considerada uma agressão, e o procedimento médico, sujeito à punição. “É uma mutilação, uma violência”, critica o interventor federal do conselho, o veterinário Flávio Prada.
Todos que respeitam e amam gatos sabem o quanto as unhas são importantes para suas atividades diárias. Quando eles acordam, se esticam e fincam as unham no tapete, por exemplo, ajudando a tonificar a parte superior do corpo. Na hora da brincadeira são as unhas que seguram os brinquedos.

O ato de arranhar faz parte da natureza dos gatos e é por meio desta ação que eles liberam o stress, exercitam os músculos, marcam território e caminham, acredite! As unhas são extremamente importantes para o caminhar dos felinos. Se removidas, os gatos são forçados a aprender a caminhar novamente. Consequentemente, eles sofrerão com tensão nas patas e dores em médio prazo.

Importante lembrar que as unhas são o primeiro sistema de defesa dos gatos e se removidas eles ficam vulneráveis aos perigos e situações cotidianas. Imprescindíveis, as unhas são muito importantes para os gatos seguirem com uma vida normal.

Arranhar é uma prática natural e cotidiana para os gatos e existem outras formas de evitar que os moveis sejam danificados por eles. Que tal comprar um arranhador e ajudá-lo a experimentar o novo brinquedinho? Borrifar a erva do gato no arranhador irá despertar o interesse pelo brinquedo e o gato não vai mais querer saber do sofá ou poltrona.

Não remova as unhas dos seus gatos por caprichos e se souber de alguém que submeta o animal a tal procedimento tente evitar.

Remover as unhas dos gatos? JAMAIS. Prefira não ter gatos, se não pode conviver com a natureza destes animais.

Fonte: PetMag

Cadela morre após ser deixada para tomar banho em pet shop no RJ


Uma morte suspeita e um desaparecimento mais misterioso ainda do corpo. Esse foi o triste fim da cadelinha Gadu, da raça Teckel, que saiu de casa para tomar banho em uma pet shop em Rocha Miranda, e não voltou mais.

A tutora do animal, Amanda Pereira, registrou queixa nesta quarta-feira na 40ª DP (Honório Gurgel) e disse que a cadela estava bem. “Ela estava andando e não tinha nenhum problema de saúde. Meia hora depois, quando minha mãe foi buscá-la, disseram que Gadu havia dado um latido alto e morreu. Não me avisaram da morte e fizeram o enterro sem me comunicar”, contou Amanda, que quer saber o paradeiro do corpo e a causa da morte de sua cadela, que tinha quatro anos. “Teria que pagar necrópsia, mas é muito caro. A polícia chamou o dono da loja para depor nesta quinta-feira.

Fonte: O Dai